A COMEMORAÇÃO DOS CINQÜENTA ANOS DE BARRA BONITA

A COMEMORAÇÃO DOS CINQÜENTA ANOS DE BARRA BONITA

Em 30 de setembro de 1939, o jornal local “O Barra Bonita”, em seu nº 404, publica a edição comemorativa ao “Cinqüentenário da Fundação de Barra Bonita”, tendo como base a Ata de Lançamento da Pedra Fundamental da Capela de São José datada de 30 de setembro de 1889.
Na edição histórica são homenageados os fundadores: José de Salles Leme e João Baptista Pompeu e o pioneiro Dr. Campos Salles. Além dos fatos históricos e biográficos, constam da citada publicação, importantes depoimentos de alguns dos primeiros moradores e também pioneiros de Barra Bonita, entrevistados pelo jovem repórter barra-bonitense Junes Bombonatti, entre eles o alagoano Ricardo dos Santos, com 82 anos, que declarou ter sido um dos primeiros homens contratados para derrubar as matas no local onde se ergueu a cidade. Lembrou ainda que foi capataz do Coronel José de Salles Leme e responsável pelo funcionamento do alambique instalado na, hoje, Rua da Ponte. Desse alambique, só restou o lugar da decantação, única lembrança material que a cidade conserva de seu fundador, nos fundos da residência do Sr. Hugo Bolla.
Muitos outros dados preciosos foram “levantados” por Junes Bombonatti, nos contatos mantidos com Luiz Stangherlin, Francisco e Joana Bérgamo, Rocco Di Muzzio, Luiz Reginato, Cláudio Lopes, Francisco Mascaro, Maria Lodi Di Lazari, Germano Güther, Luiz laia e lzidoro Bressanin. O destaque foi a entrevista com D. Amélia de Almeida Pompeu, cunhada do fundador Major Pompeu, que também contou fatos interessantes sobre a fundação da cidade, testemunha que foi desse acontecimento, como a primeira mulher que aqui veio residir com sua família.
A edição histórica de “O Barra Bonita” se completa com um belíssimo artigo do jornalista Jota Domingues: “Barra Bonita – Terra pequena de coração grande” e, no setor de esportes, o ponto alto é a disputa da Taça “Nhonhô de Salles e Major Pompeu” entre as equipes do S. C. Bandeirantes, de São Paulo e a A.A.B.B., em comemoração ao cinqüentenário da cidade. O jogo foi realizado com as presenças ilustres dos familiares de ambos os fundadores, no “Estádio da Chácara Santa Eliza”, sendo vencedora a A.A.B.B., por 3 a 0.
O povo fez a festa! Não foram encontrados registros de solenidades oficiais, nem religiosas nessa data, nem nos anos subseqüentes. Assim, o 30 de setembro ficou na saudade. Apenas uma lembrança de que, em 1939 foi festejado como data dos 50 anos da cidade! E, como tal, faz parte da nossa história.

Publicidade:

Linguagem »