PRAIA ARTIFICIAL – TRAPICHES – BARCOS

PRAIA ARTIFICIAL – TRAPICHES – BARCOS

Para dar maior espaço aos freqüentadores do “piscinão” e atender aos apreciadores do “banho de sol”, uma grande obra de terraplenagem foi executada nas imediações do mesmo, ampliando-se a faixa da margem direita do Rio Tietê, com pedregulho, terra, pedra e areia, transformando o local em uma extensa praia, bem ao gosto dos banhistas.
Em outro trecho, mais abaixo, foram construídos vários trapiches (como ficaram conhecidas as plataformas de madeiras, “avançando” sobre o rio) destinados aos aficcionados da pesca amadora.
Contudo, as sucessivas enchentes do Tietê danificaram a área da praia, “tragaram” os trapiches, levando tudo por água abaixo.
Em contrapartida, o “piscinão”, as lanchonetes e bares junto à Avenida Pedro Ometto; os barcos “Crepúsculo Romântico”, “Cidade Simpatia”, o navio “Tibiriçá”, a “Jangadete Turística”, os sandolins (barcos de pedais) e a Churrascaria Bambu, se integravam perfeitamente no complexo turístico que tinha no Rio Tietê uma atração permanente.

Publicidade:

Linguagem »